Tende Piedade- Artigo de Gabriel O Pensador

23:55 Lello Pensador 0 Comentários

Texto do pensador feito para revista M
http://www.revistam.com.br

Uns dos melhores artigos do Gabriel O Pensador que já li ate hj,
gostei das criticas ao Papa, enfim, gabriel mandou bem
em tudo que falou. Vale apena ler o ARTIGO ate o fim

TENDE PIEDADE
Gabriel o Pensador

Antes da TAM, era o Pan. Antes do Pan, era o Papa. Os assuntos e as manchetes mudam tão rápido que fica até estranho falar de coisas que já não estão mais na pauta da semana, mas eu tinha anotado umas coisas aqui pra M... mesmo, não faz muito tempo. Agora que a revista saiu, vamos nessa com tudo que nem prisão de ventre quando acaba:

Vocês viram quanta gente parou pra ver o Papa passar por aqui? Impressionante. E a cobertura da TV e da imprensa! Nossa Senhora! Ou melhor, Santo Frei Galvão! – pra usar um santo mais atual. Parou tudo. Muita gente viajou de longe pra olhar por alguns segundos “aquela carinha santificada dele”, como resumiu uma senhora emocionada a um repórter. Que força de vontade meu povo demonstrou para se mobilizar em torno de uma causa assim tão do bem! E que capacidade nós temos para emonstrar a nossa fé no amor, na justiça, na solidariedade, na defesa da vida ou coisa parecida, hein! Que lindo!

Nem vou falar no absurdo que é condenar a camisinha num mundo onde quase 40 milhões de pessoas estão infectadas pelo vírus HIV. Nem vou lembrar aqui que o “Seu Bento” era um padre de carne e osso como outro qualquer, antes de ser promovido a bispo e a Sumo Pontífice em votações fechadas da Igreja. Não me parece tão de outro mundo assim, mas se eu questionar essa idolatria fanática vão dizer que sou um herege. Então deixa quieto, que não é sobre religião que eu venho falar aqui. Nem sobre aborto, nem sobre Aids. Vira essa boca pra lá. Deus me livre! (a mim e “a-quem-fô-da-família”)

E já que estamos voltando no tempo, vocês viram que beleza a torcida do Mengão nas finais do estadual e também na despedida da Libertadores? Impressionante. Nossa Senhora! Ou melhor, São Judas Tadeu! – pra citar o padroeiro do clube, se bem que ele não evitou a roubalheira explícita do juiz argentino. Mas agora só reclamando com o Papa. E eu cheguei revoltado do templo, digo, do Maracanã, e tentei rever pela TV os dois pênaltis que ele não marcou, mas os telejornais só mostravam a agenda do Papa, o passeio do Papa, o descanso do Papa… E a nossa devoção ao futebol, como é que fica? E o estádio lotado de fiéis vestidos com o chamado Manto Sagrado rubro-negro? Como foi que Deus não viu aquele empurrão no Paulo Sérgio dentro da área? Será que Deus é vascaíno? Olha que ele chegou aqui trazido pelos portugueses. Hm… Só perguntando pro Papa. Mas se pensarmos no Roma, pode ser que sim, pois o baixinho diz que, quando nasceu, Deus apontou pra ele e falou “esse é o cara” – e o gol mil saiu em São Januário.

O Vascão tá indo bem, embora eu ache que Deus, se fosse bacalhau, já teria transferido o Eurico pra algum rival. Que Ele não me ouça! Mas também não vim aqui falar de futebol, só que uma coisa puxa a outra, falando em paixão e em aglomeração de gente…

É que eu tinha visto umas notícias sobre um quebra- quebra na estação de trens de Buenos Aires, onde a população se revoltou com mais um atraso ou cancelamento e se excedeu um poquito nos protestos, tocando fogo na estação e nos vagões e enfrentando a tropa de choque com tijolos. Exageraram, concordo, mas não aceitaram o desrespeito calados. Aqui não. Aqui a gente dorme no aeroporto, a gente é queimado vivo dentro dos ônibus, a gente leva bala perdida em estação do metrô – quando não é a própria estação do metrô que desaba por ter sido feita nas coxas pra sobrar mais dinheiro.

De vez em quando a gente vê notícias de protestos semelhantes aos dos argentinos também em outros países, e os motivos nos parecem tão banais! Ano passado quebraram tudo na França depois que dois jovens inocentes morreram eletrocutados tentando fugir da polícia! Que é isso!? Esses caras reclamam de barriga cheia! Disseram que protestavam também contra o racismo e o desemprego, essas coisinhas para nós triviais. Aqui tem policiais que matam inocentes a esmo, dando tiro em motoqueiro que tenta levar o pai doente ao hospital, ou vingando-se dos bandidos com ataques a trabalhadores do mesmo bairro, como fizeram policiais de São Paulo reagindo aos atentados do ano passado (e ninguém falou nada), talvez inspirados na chacina de Vigário Geral, da qual muitos autores não foram julgados e nenhum sobrevivente foi indenizado até hoje. Alguém protestou?

(Eu sei: que papinho chato, né? Eu também tô achando. Vira a página aí dessa M…)

Quem vai gritar nas ruas pelas mães dos João Hélios, já cansadas de não serem ouvidas? Talvez alguns franceses idealistas, mas os últimos de que tivemos notícias em Copacabana foram mortos por um ex-integrante de sua ONG, que desviava seu dinheiro, talvez inspirado em nossos bem-sucedidos políticos, que “chegaram lá” para dar o exemplo.

Mas a gente não liga pra isso. Paga um salário de merda e mais “uma cervejinha” pro PM enxugar o gelo da ponta do iceberg e morrer fodido também no tiroteio. Quem se importa? Os papas daqui têm papa-móveis blindados. Você ainda não tem o seu?

A Turquia parou pra protestar contra a candidatura à presidência de Abdullah Gul, por temer que este transformasse um país democrático e laico num regime islâmico. Aqui os presidentes fazem o que querem, desde que paguem bem aos parlamentares. Um esquece tudo o que escreveu no passado, inventa e banca a própria reeleição, outro esquece tudo o que gritou no passado e legitimiza a república do vale-tudo. Aqui podem até eleger o Bispo Macedo ou o Tim Tones do Chico Anysio show que ninguém vai pras ruas reclamar, contanto que não acabem com o samba nem com o futebol. E nem com as visitas do Papa.

Garotinho foi pego em flagrante, não foi? Deu em que mesmo? Ah, em greve de fome! E o Maluf? Logo depois de ser desmascarado em fraudes milionárias, negou a própria assinatura e posou comendo sua esfiha tranqüilo no centrão de São Paulo. Se passasse um ladrãozinho esfomeado e lhe roubasse a esfiha ou a bolsa de alguém, ah, este sim, o povo era capaz de linchar. Mas ele? O quê! Recordista de votos!

Pelo menos o brasileiro ainda tem o dom de se juntar para dar o seu suor por algumas causas, como torcer pela Seleção e pelo seu clube, ou fazer romaria, culto evangélico, encontro católico, procissões e despachos. E também, é claro, pra fazer um carnavalzinho de leve, que ninguém é de ferro. Há quem suspeite que algumas Escolas de Samba do Rio estarão alguns malotes mais pobres em 2008. Será? Aí sim o povo pode reclamar. Ou então migrar pra alguma micareta.

Toda hora é hora pra curtir um show e beijar muito na boca, depois vale dar aquela passadinha numa igreja pra nos redimir dos pecados e pedir uma ajudazinha pro nosso time do peito ou pro Brasil ganhar a Copa. Eu tô dentraço. Sou festeiro também, tá me estranhando?

Pode convocar a galera que não tem erro, todo mundo vai. É que nem votação de paredão no Big Brother: todo mundo participa. Gasta até dinheiro sem reclamar. Liga pra votar no BBB, gasta pra comprar santinho, pra pagar o dízimo, pra comprar bandeira e uniforme – original ou pirata, mas compra! Na verdade, nós brasileiros sentimos sim a necessidade de “participar”, mas nossa carência de fé na política e em nós mesmos nos desvia a atenção e a intenção sempre pro que nos alivia. Quem é que não relaxa e goza ao cantar o nosso hino nacional comemorando uma medalha de ouro? E ainda assim tivemos que cantá-lo com a letra editada nas coxas, pra poupar alguns segundos, pois tempo é dinheiro.

E aparentemente estamos felizes assim, então tá então, né? Como diria Amélia, ”o que se há de fazer?”. Deixa o protesto pros gringos, vamos tomar água de coco! Ninguém quer ficar perdendo tempo com problemas, afinal só temos sete Zecas-feiras por semana pra curtir. Quem faz protesto aqui é visto como sonhador sem-noção, impotente e ingênuo. Ou até meio “mala”. Você não ia querer pagar esse mico, né não?

Nem eu. Pensando bem, esqueçam tudo o que eu cantei no passado e daqui pra frente eu não reclamo mais de nada. Mas se aquele juiz argentino que eliminou o Mengão na mão grande voltar aqui, eu juro pelo Santo Papa que eu invado o gramado e quebro ele!

Depois vamo pro Baixo Leblon comemorar.

Gabriel O Pensador é rapper e solta os bichos em suas letras. Só pega mais leve em sua faceta de premiado escritor de livros infantis, para não assustar as criancinhas

texto escrito por Gabriel O Pensador.

0 comentários: